8 (novas) Regras para falar em público

In Oratória by Instituto Heverson BarbosaLeave a Comment

Há uns anos atrás começamos a notar que a forma como falamos em público estava sendo influenciada positivamente pelo TED, agora notamos que os agentes da transformação são outros, como por exemplo o YouTube e o Periscope. Uma comunicação poderosa já não se sustenta mais com a formalidade de antigamente, está mais casual, direta e interativa, e o profissional que souber tirar proveito deste momento e compreender tais mudanças é o que melhor se adaptará no mercado e alcançará resultado com suas estratégias de comunicação – afinal, a mensagem não pode ser passada de qualquer jeito, certo?

Vai falar em público? Com ou sem Apresentação? Tudo bem, as regras abaixo irão te ajudar:

Prática não leva à perfeição

Exatamente. Sabe o que leva à perfeição? Prática com feedback. De que adianta praticar por horas sem ter alguém que possa apontar seus erros ou oportunidades de aperfeiçoamento? Seria como errar cem vezes e achar que na centésima primeira tudo fosse ser diferente. E este alguém pode ser você! Como? Gravando seu discurso.

Não se preocupe com a qualidade, será um material de consulta particular, apenas certifique-se de que está captando o som claramente, que está enquadrado corretamente e comece a treinar. Depois, analise o material e seja sincero com a análise, busque oportunidades de aperfeiçoamento e, principalmente, os erros que precisa corrigir – como, por exemplo, notar se a energia no meio do discurso está igual ao do início, pois geralmente perde-se energia e há uma “queda” de entonação nesta parte.

Falar = Cantar

Já reparou que às vezes nossa garganta e língua ficam secos após falarmos muito? Não é à toa que diversos eventos disponibilizam água para os palestrantes “molharem o bico” durante suas Apresentações. Isso acontece porque a maioria de nós respira pela boca, e o correto é treinar para respirar apenas pelo nariz. Roger Voice, coach de oratória para celebridades, afirma que “se você quer controlar o som, precisa aprender a controlar o ar” – inspire pelo nariz até encher os pulmões, usando o diafragma, e gentilmente expire enquanto você fala.

Descarte o visual desnecessário

É importante utilizar imagens para potencializar uma mensagem, mas nem sempre é possível ou recomendável. Se você não possui uma imagem que preste suporte à mensagem, então é melhor não usar nada: o visual precisa amplificar sua mensagem, e não distrair. Pense na mensagem que deseja passar em cada slide e que imagem você verdadeiramente acredita que representa fielmente o que deseja (cuidado com os clichês).

Teste suas piadas

Gosta de humor? Quer tentar utiliza-lo em uma Apresentação? Treine e teste antes. É gratificante fazer as pessoas rirem, é certamente uma forma poderosa de fixar uma mensagem na mente da audiência e ainda ser lembrado pela experiência agradável, mas você precisa testar antes. Nunca pergunte a um amigo ou parente se “foi/é engraçado” pois eles não representam sua audiência e certamente terão receio de falar a verdade. É fácil treinar, principalmente se você está sempre com pessoas ao seu redor. Você vai tentando encaixar as piadas nas conversas, de forma natural, dentro das oportunidades, e vai analisando a reação de cada um – este teste é importante para, pelo menos, você identificar se realmente possui uma veia humorística ou se seria um fracasso forçar a barra tentando ser algo que não é.

Finja estar conversando

Aliás, tomar cuidado para criar um diálogo ao invés de um monólogo já foi pauta de nosso blog. A formalidade de antigamente não funciona mais hoje em dia, é chata e entediante, faz as pessoas dormirem nas cadeiras e terem zero empatia pelo palestrante. Hoje em dia você precisa ser simpática, gerar empatia, conversar casualmente e ser mais sincero ao expressar você mesmo do que tentar ser alguém que não é.

Quando você conversa, a mensagem flui melhor porque você não possui cobranças em cima de você e a audiência ao seu redor são amigos que não possuem pretensões profissionais no momento. Na palestra você deve se portar da mesma forma, tirando aquele peso de cima dos ombros e transformando o momento em uma experiência agradável.

Chegue adiantado no evento

Por favor! Além de ninguém gostar de atrasos, você poderá encontrar um lugar para relaxar e sentir-se mais confortável, repassar seu discurso e/ou slides, verificar se a Apresentação ou o microfone estão funcionando corretamente e verificar os últimos detalhes. Você pode, também, praticar um pouco – quanta vantagem, não?

Mantenha a cabeça aberta

O mercado está em constante mudança, assim como a tecnologia e o comportamento humano. Tudo está sempre mudando, se adaptando e transformando, faz parte da evolução manter-se constantemente ativo, absorvendo diariamente o máximo de aprendizado. Por isso você não deve manter-se enraizado à tradições ou manias. Falando de Apresentações, cada vez mais caminhamos para uma dinâmica mais interativa e, certamente, com uma dose de entretenimento – tenha isso em mente, seja analítico com outras palestras, visite o site do TED e acompanhe como as palestras mais recentes estão sendo feitas etc. Além do TED existem outros formatos de palestras, como Pecha Kucha, Creative Mornings ou Ignite.

Encerre com poder

Nossa tendência é lembrar mais do início e do fim de uma Apresentação – não sabemos por que, mas já que esse comportamento existe, que tal aprender a tirar o máximo de proveito dele? Uma das formas mais comuns é repassar os pontos de forma resumida nos últimos slides e, então, encaixar dentro deste contexto um call-to-action sobre o assunto que está apresentando. – e é importante você ter um call-to-action, se não tiver pessoalmente pelo menos sua Apresentação precisará ter, ou as pessoas não terão engajamento suficiente com a mensagem que estiver transmitindo. Como sempre, busque por exemplos de palestrantes que você admire a forma como eles falam – novamente, o site do TED é muito bom para isso, são palestras do mundo todo, de eventos que realizam desde 1984!

Fonte: Monkey

Leave a Comment