Mexa-se! Como usar linguagem corporal para contar suas histórias

In Oratória by Instituto Heverson Barbosa1 Comment

Recentemente, eu treinei um cliente com uma história memorável.

Era uma história de negócios bem sucedidos, e tinha todos os elementos para ganhar o interesse de uma audiência. Havia um objetivo urgente a ser atingido, e obstáculos e desafios no meio do caminho. Houve momentos de incerteza e desespero. Mas finalmente, com todo o time trabalhando junto sem parar – e nunca duvidando do propósito deles – houve triunfo e alegria num sucesso enorme. 

Então, por que essa história não foi tão excitante quanto poderia ter sido?

Uma razão, era porque eu como ouvinte não testemunhei os eventos do ponto de vista dele. Eu não quero dizer em termos visuais numa tela. Estou me referindo ao seu próprio envolvimento e resposta emocional envolvendo a experiência que ele queria compartilhar com a audiência. Sendo assim, estou falando sobre a experiência física com a história. E isso, obviamente, significa linguagem corporal.

Linguagem corporal não significa somente transmitir uma mensagem. É também um componente vital de como o público percebe você, e até mesmo como você sente consigo mesmo!

Uma tentativa de ator na fala pública

Como oradores, nós as vezes não vemos a importância de um fato significativo: palavras e detalhes podem passar a informação, mas comunicação não verbal dá aquele fato, um significado muito maior. Nossa linguagem corporal, qualidade vocal, expressões faciais e movimento em nossas performances, dá ao publico dicas importantes de como se sentir com o que você está dizendo. E isso influencia-os a ter respostas semelhantes nas próprias mentes (e corações).

Como um ator, você deve usar o seu instrumento – você mesmo – para conseguir atingir o que palavras, estatísticas e outras maneiras de evidência não conseguem fazer sozinhas. Num resumo, você precisa da capacidade de um ator para falar publicamente. Vamos olhar para 3 maneiras possíveis que podem te ajudar a trabalhar nisso.

Como gesticular na oratória

Nós vamos começar com gestos e continuar com uma simples regra:

Gestos que amplificam ou dão suporte a sua ideia são bons, e aqueles que distraem o que você está dizendo são ruins.

Existe uma fórmula simples de seguir, que funciona muito bem com a pergunta: “o que devo fazer com as minhas mãos?”.

Como você deveria usar estes gestos em público?

  1. Nunca planeje seus gestos. Crie as condições para o gesto além do gesto em si, e o movimento certo vai aparecer no momento adequado. O que a audiência vê será orgânico e completamente apoiado no que você estará dizendo.
  2. Comece de uma posição neutra, com as mãos ao seu lado, trazendo-as para um gesto. Faça ele definitivo e limpo. Não deixe-o pela metade ou repita-o. Depois de fazer esse gesto, permita que suas mãos retornem para a parte neutra.

 

Gesticulação nessa maneira conquista duas coisas: passa para a audiência que você está confiante, a partir do momento em que você não está com braços e mãos entre você e o público como se fosse uma barreira. E produz gestos fortes e que amplificam e apoiam o que você querendo passar.

 

Pontos críticos

A sua introdução e conclusão, devem ser decorados, mas não engessados. É muito importante que você tenha em mente como começar e como terminar seu discurso, sua postura vão ajudar a plateia a entender suas intenções, um sorriso, palmas das mãos a vista e postura ereta caem muito bem nestes momentos.

A Arte de expressão facial na oratória

Essa técnica – a arte da expressão facial – é o que eu demonstrei e trabalhei com meu cliente para a história excitante que ele tinha a contar. Não é difícil imaginar a experiência que ele estava compartilhando com todos esses elementos variados começando a dar uma forma mais interessante imediatamente.

Quando você for falar em público, tente engajar nos mais sentidos possíveis os seus ouvintes que você puder. Recorrentemente, o público somente ouve o que nós estamos dizendo. Mas nós precisamos convidá-los – e seduzi-los – para ver e sentir a nossa história também. Então pegue esse assunto interessante que você tem para contar, e encontre a expressão física da sua história. Quando se trata de memorização que você está procurando, as chances estarão ao seu favor.

 

Adaptado de: The Genard Method

Comments

Leave a Comment